Tecnologia

Como começar a migrar seu banco de dados para nuvem?

Muitas empresas estão migrando suas bases de dados das infraestruturas locais para infraestruturas na nuvem. E tudo vem acontecendo a um ritmo impressionante. A resposta para isso pode estar na economia de custos com aquisições, atualizações e manutenções de equipamentos e espaços físicos, no aumento da segurança contra perdas e roubos de informações e na mobilidade agregada ao trabalho. Mas como migrar dados para nuvem?

O que muitos gestores não sabem é que a migração do banco de dados não pode ser feita de qualquer jeito. Aliás, o processo pode ser complexo, já que ocorre em etapas. Isso quer dizer que demanda pesquisa e análise, planejamento, conversões de linguagens de programação, testes, ajustes, monitoramento e controle da segurança e desempenho, entre outras ações.

A chave para o sucesso, no entanto, é tornar o seu projeto de migração previsível e fácil de ser monitorado em tempo real. Afinal, você não vai querer ter surpresas depois que tiver migrado 10 terabytes de dados para o novo ambiente, certo?

Foi pensando nisso que desenvolvemos este post. Queremos ajudar você a migrar o banco de dados para a nuvem da maneira correta: com segurança e a certeza de que terá as vantagens prometidas pela estratégia. Para isso, fizemos uma lista com os passos mais importantes. Use-os e conclua a migração com sucesso!

Escolha o tipo de nuvem a ser adotado

Isso vai depender do tipo de dados que você vai migrar. Se for de caráter simples, para fins de análise e consultas rápidas, uma nuvem pública (Google Drive, Amazon Web Services (AWS), Microsoft Azure, Dropbox) serve. Ela exige menos custos para ser mantida, mas sua estrutura é padronizada e tem poucos recursos e ferramentas disponíveis.

Porém, se a intenção for armazenar dados mais sensíveis — como informações bancárias e dados pessoais de clientes, de fornecedores e da própria empresa —, bem como informações de inteligência estratégica (segredos de negócios), o ideal é adotar uma nuvem privada. Esse modelo pode ser um pouco mais caro, mas vale a pena em termos de segurança, personalização e funcionalidades disponíveis.

Agora, se você precisa de ambas as soluções, o ideal é montar uma estrutura de nuvem híbrida. Assim, poderá aproveitar o melhor de cada tipo de nuvem, montando uma estrutura compartilhada.

Avalie o tamanho do banco de dados

Essa etapa é importante, pois o dimensionamento do banco de dados atual determinará a estrutura necessária na nuvem — espaço e ferramentas para o monitoramento, controle e gerenciamento de acessos, inserções, edições e remoções de dados. Essa análise pode ser realizada pelo próprio time de TI interno.

Escolha o provedor de cloud computing

Há muitas opções de provedores de serviços na nuvem. Porém, selecionar o certo para a sua estratégia de migração dependerá de inúmeros fatores. O mais importante deles é avaliar se o modelo que o fornecedor oferece atende todas as necessidades do negócio, de maneira adequada e no tempo certo.

Cada provedor tem um conjunto específico de pontos fortes e fracos. Alguns se destacam pela enorme escalabilidade em segundos, outros pelas funcionalidades personalizadas de gerenciamento. Então, não basta selecionar o líder de mercado. É preciso considerar se os objetivos dele batem com os da sua empresa.

Planeje a migração do banco de dados

Depois de escolher um provedor de nuvem, é hora de começar a se preparar. O planejamento é um dos passos mais importantes nesse momento, pois servirá como um guia e ajudará você a executar todas as outras etapas na ordem e tempo certo. Se você fizer isso direito, as fases seguintes ficarão mais simples.

Então, comece definido o que será transferido primeiro. O ideal é iniciar a migração com os dados mais fáceis e menos críticos. Dessa forma, você controla melhor o processo e lida facilmente com os imprevistos.

Outro ponto a considerar no planejamento é que o provedor possivelmente não oferecerá um ambiente que funcione exatamente igual ao seu sistema atual. Ou seja, os servidores, as redes e os serviços podem interagir de forma diferente, e você precisa estar atento a isso antes de migrar dados para nuvem.

Tenha uma equipe de apoio e suporte

Executar todas os processos com sucesso pode ser bem difícil, principalmente quando não se tem os conhecimentos, habilidades e experiências necessárias. Sua melhor escolha, portanto, é trabalhar com uma equipe que já tenha feito isso antes e, de preferência, muitas vezes.

Qualquer tipo de migração é perigosa e propensa a erros. Nesse sentido, a experiência é necessária para prever ou evitar problemas e custos adicionais. Sua equipe de profissionais precisa conhecer todas as tecnologias e metodologias envolvidas nos processos. Além disso, deixe seus desenvolvedores, gestores de TI, administradores de rede e outros profissionais de prontidão para a hora da migração.

Adote as políticas de segurança

A preocupação com a segurança ainda é um dos principais fatores que impedem as empresas de migrarem seus dados para a nuvem. Hoje, a cloud computing é extremamente segura, mas você não pode deixar tudo na mão do provedor.

É preciso fazer a sua parte e criar políticas de segurança adicionais, como conscientizar os usuários sobre a responsabilidade pelas senhas e a importância de não acessar o banco de dados por meio de rede pública de internet.

O provedor oferece tecnologia de criptografia de dados e senhas, o que torna esses códigos ilegíveis em casos de acessos não autorizados. Além disso, oferece cadastro de senhas com níveis de acesso, backups automatizados de alta frequência, antivírus inteligente etc. O problema é que os dados só entrarão nessa redoma protegida depois que a migração tiver sido concluída.

Enquanto isso, é importante lembrar que o local de armazenamento temporário usado ao longo do processo de migração deve ser tão seguro quanto o seu destino final.

Use ferramentas de migração

A maioria dos provedores de cloud computing, principalmente os de nuvem privada, oferecem ambientes mais propícios e altamente seguros para o processo de migração, além de ferramentas para o monitoramento e controle dos processos.

Mesmo assim, independentemente das ferramentas que o provedor fornecer, procure realmente saber como elas funcionam, pois mover bancos de dados inteiros pode ser complicado. Procure um tutorial, passo a passo e suporte para tirar todas as dúvidas e testar os recursos antes da migração real.

Teste a nova estrutura de banco de dados

O fim do processo de migração não significa que o trabalho acabou, afinal, você precisa garantir que tudo esteja funcionando. Essa etapa pode não ser tão simples, e dependerá de todos os profissionais trabalhando em sincronia para o teste perfeito. Basicamente, você deve conferir:

  • acesso via desktop (computador de mesa) e dispositivos móveis (notebooks, tablets e smartphones);
  • ferramentas de monitoramento e controle em tempo real;
  • comunicação perfeita entre os componentes internos;
  • resolução de problemas simulados;
  • ações de inserir, editar e remover;
  • métricas de desempenho;
  • atualização de códigos.

Migrar dados para nuvem é uma maneira inteligente de otimizar os processos da empresa, mas isso só será possível se você seguir todas as etapas corretamente.

Gostou das dicas? Siga o nosso perfil no Facebook e no LinkedIn e fique sempre por dentro de conteúdos relacionados ao assunto!

Sobre o autor

Canal da Tecnologia

Deixar comentário.

Share This