Suprimentos

Como descartar cartuchos usados? Saiba os cuidados necessários!

Em um passado não tão distante, muitas empresas não se preocupavam como descartar cartuchos usados, tratando-os, apenas, como um lixo comum.

Mas o meio ambiente deu sinais de alerta e entidades internacionais passaram a pesquisar os efeitos no ecossistema, propor regras e incentivos para que as empresas, então, descartassem seu lixo administrativo conscientemente.

O descarte consciente passou a ser um diferencial das organizações que também viram nesse processo um meio de reduzir custos.

Reunimos, aqui, as dicas e cuidados necessários para que os cartuchos sem condições de uso sejam corretamente eliminados. Confira!

Mapeie os pontos de recolhimento

Algumas marcas oferecem o recebimento de cartuchos usados, assim como empresas especializadas em descarte também podem negociar a retirada de um volume maior no endereço da organização.

Lojas de eletrônicos também fazem recebimento de cartuchos, toners e outros consumíveis que usualmente são comercializados em suas dependências.

Outra possibilidade é o descarte em pontos de coleta seletiva. Como a estrutura do cartucho é predominantemente de plástico, deve ser destinado ao coletor vermelho.

Verifique a possibilidade de reciclagem

Além do plástico em sua estrutura, outros componentes metálicos e pequenos circuitos que completam sua composição são de difícil decomposição e podem ser reutilizados.

Para o caso de empresas especializadas em descarte, algumas delas podem reutilizar ou revender partes dos cartuchos para outros fins, seja para impressão com menor qualidade, seja para outras artes e ofícios.

Considere vender para lojas interessadas

Algumas lojas menores também podem se interessar em comprar as peças que seriam descartadas. Nesse caso, elas atuam receptando o material usado de grandes empresas e repassando para o uso doméstico, se houver compatibilidade entre as máquinas, é claro.

Algumas associações de artesãos e artistas também são eventuais compradores. Para esse público, no entanto, é importante avaliar se eles utilizarão todo ou apenas parte dos cartuchos.

Ao fazer esse questionamento, a empresa pode assegurar que nenhuma parte ou resíduo de seus cartuchos, mesmo que vendidos, vai poluir o meio ambiente, contaminar os lençóis freáticos etc.

Saiba como descartar cartuchos usados

Todas essas dicas obedecem um fluxo de logística reversa, ou seja, retornam à fabricante ou ao intermediário com maior conhecimento sobre o produto e sobre a ação de descarte correto.

Mas isso não tira a responsabilidade de quem utiliza e deseja fazer o descarte. Além de fazer o descarte regularmente, acumulando um volume que seja compatível para a retirada, também é preciso tomar alguns cuidados:

  • o manuseio dos cartuchos, mesmo que vazios, deve ser feito com cuidado para que o chamado “pó de fumo” não contamine o responsável pelo descarte;
  • os cartuchos devem ser embalados separadamente em plástico bolha ou solução similar para que o resquício de tinta e resíduos não escorram; 
  • devem ser colocados em caixas para seu envio seguro.

Entenda políticas e incentivos para o descarte

A imagem de uma empresa consciente, que faz descartes e adota outras medidas para proteção do meio ambiente, é muito importante para a sociedade e seu público-alvo em geral.

Isso acontece porque as pessoas estão mais conscientes sobre a importância do meio ambiente em equilíbrio. Assim, ao escolher entre uma empresa e outra para fazer negócios, elas provavelmente darão preferência àquelas com valores sustentáveis.

A sustentabilidade e a proteção do meio ambiente, porém, não são apenas uma tendência a ser explorada em termos de imagem. Muitas empresas já desenvolvem Planos de Gestão de Resíduos capazes de gerar reduções de custos consideráveis.

Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)

A forma como os descartes são feitos também é acompanhada pelo governo que, atento ao crescimento e a modernização das estruturas, viu a necessidade de organizar e formalizar a política para lidar com lixos de setores públicos e privados.

A PNRS está na forma da Lei nº 12.305 de 2010 e trata sobre o descarte de resíduos sólidos, como os cartuchos e toners, e aborda tanto os procedimentos domésticos como industriais, focando inclusive os equipamentos eletrônicos.

Determina o que deve ser feito com resíduos dessa grandeza que podem ou não ser reciclados para evitar o acúmulo de lixos pelo país, a emissão de gases e resíduos poluentes e o comprometimento da vida humana e animal.

Assim, ela também dá diretrizes para que a responsabilidade do descarte seja compartilhada por todos os envolvidos na cadeia de consumo, desde a empresa que adquire o cartucho até sua fabricante.

É importante estar em acordo com tais diretrizes, pois, o Ministério do Meio Ambiente pode aplicar multas por não conformidades ou até classificar o descarte incorreto como crime ambiental.

Empresas poderão, até mesmo, terem suas atuações interrompidas para que possam se adequar e arcar com punições que podem custar de R$ 5 mil a R$ 50 milhões.

Políticas e incentivos na esfera mundial

Ter consciência sobre o descarte de cartuchos também beneficia a imagem que a empresa projeta mundialmente. Mesmo que ela não atue no mercado global, isso tem valor.

Uma das grandes políticas conhecidas para a preservação do meio ambiente é o crédito de carbono. Nela, cada tonelada de carbono não emitido é um crédito que pode ser negociado no mercado mundial.

Isso fez com que várias empresas despertassem para a importância de estabelecer uma produção sustentável. Além de contribuir para o meio ambiente, elas estão se beneficiando economicamente e em termos de imagem.

Além das grandes empresas, os países também se preocupam com os créditos de carbono. Ou seja, é um ciclo de incentivos que se propaga e beneficia todos que se comprometem em fazer a redução de lixos e resíduos que podem afetar o meio ambiente e a vida humana nos próximos anos. Não é só uma tendência, mas uma vantagem para as empresas que se comprometem em fazê-lo.

Ao negociar com fornecedores de consumíveis que produzem resíduo sólido, é preciso valorizar aqueles que genuinamente possuem preocupação com o meio ambiente e que, além de desenvolver um produto que respeite a patente das marcas originais, consegue oferecê-lo com valores menores.

Escolhendo produtos de qualidade, que durem mais tempo e não comprometam os equipamentos, também é uma forma de controle de resíduos, afinal de contas, seu bom desempenho evitará novas aquisições e produção de lixo.

Por fim, saber como descartar cartuchos usados corretamente garante que o resíduo de tinta e sua complexa composição química necessária para uma impressão instantânea não cheguem ao meio ambiente.

Gostou do nosso conteúdo? Quer ficar por dentro das melhores estratégias de gestão de impressão, economia de consumíveis e muito mais? Assine, agora, nossa newsletter.

Sobre o autor

Canal da Tecnologia

Deixar comentário.

Share This