Tecnologia

Cultura de inovação: tudo que você precisa saber

Se o mercado já era competitivo antes, agora, com a crise política e econômica, a briga por espaço ficou ainda mais acirrada. Nesse cenário, a busca por segmentação e diferenciais tem sido a estratégia mais utilizada pelas empresas. O problema é que não dá para ter sucesso sem inovar, o que torna a implementação de uma cultura de inovação fundamental.

Empresas como Uber, Netflix e Airbnb são exemplos disso. Elas representam um modelo de negócios chamado “startup”, que começa pequeno e cresce rápido. Hoje, já fazem sucesso devido às inovações que oferecem ao consumidor.

As empresas estão cada vez mais pressionadas pelo mercado e o surgimento de novas metodologias e tecnologias está criando um cenário perfeito para inovar. Porém, pouco se tem ouvido falar sobre o que é cultura de inovação e como implementá-la com sucesso nas organizações. Explicar pode ser relativamente simples, mas, na prática, é mais complicado do que parece.

Para lhe ajudar com essa estratégia, desenvolvemos um post bem completo, onde você vai descobrir o que é cultura de inovação, por que ela é tão importante para os negócios de hoje e, principalmente, como constituí-la na sua empresa. Confira!

O que é a cultura de inovação?

A cultura da inovação geralmente é vista em ambientes de trabalho onde os líderes cultivam o pensamento crítico e livre dos profissionais, bem como a aplicação prática de suas ideias, sejam elas no âmbito estratégico ou operacional. Todos no local acreditam que a inovação não é uma tarefa restrita a diretoria e que ela pode vir de qualquer pessoa na organização.

Ou seja, a cultura de inovação representa um ambiente democrático que apoia a criatividade e os gestores realizam esforços para extrair valor econômico e social do conhecimento. Ao fazer isso, processos, produtos e serviços são aprimorados ou novos modelos são gerados.

Além disso, um conjunto compartilhado de valores e crenças se reforçam mutuamente sobre a importância da inovação, bem como um padrão integrado de comportamento que apoia fortemente a pesquisa e a inovação.

Por que ela é importante?

Comece compreendendo como a diretoria e a equipe de gestores lidam com as incertezas. Todas as empresas encaram riscos, seja fazendo ou deixando de fazer algo. Isso faz parte dos negócios e, se a organização é extremamente avessa ao risco, é improvável que seja inovadora. Nesse caso, estabelecer um bom gerenciamento de risco é o primeiro passo para aderir a uma cultura de inovação.

Agora, veja como essa estratégia é importante para o mundo corporativo. Continue a leitura!

Possibilita manter a força competitiva

A necessidade de ser inovador é derivada das pressões de mercado, pois novas demandas surgem com frequência e os líderes agem mais de forma reativa que proativa, tendo dificuldades em manter a competitividade.

Porém, com uma cultura de inovação, a empresa adquire a crença de que qualquer vantagem competitiva é passageira e, por isso, deve estar sempre se reinventando para sobreviver e ter destaque no segmento de atuação. Posturas como essa devem render maior poder competitivo ao negócio no médio e longo prazo.

Aumenta o foco nas oportunidades

Uma cultura inovadora permite que as pessoas sejam mais flexíveis, com uma curiosidade maior sobre o mundo exterior. Isso melhora a tolerância aos riscos, aumenta a capacidade de os profissionais imaginarem o que é possível e sustenta as ideias com equilíbrio entre paixão e objetividade.

Embora a eficiência dos processos e o aumento da produtividade sejam o foco da maioria dos negócios, as empresas precisam focar mais em oportunidades, e a cultura de inovação permite isso. Muito além do que planejam e executam hoje, os líderes de negócios devem promover uma orientação de pensamento no futuro, se antecipando às oportunidades por meio da identificação de tendências de demanda.

Permite a realização de testes

Com um mercado em constante mudança, as empresas precisam de novos processos para pesquisar e descobrir novos padrões de comportamento do consumidor e tendências por novas demandas. A partir daí, devem desenvolver novos conceitos de negócios para atender às novas realidades do segmento.

Uma cultura de inovação impõe avanços nos processos de descoberta, experimentação e desenvolvimento de novos produtos e serviços. Isso ajuda a mitigar a exposição ao risco à medida que as oportunidades e soluções forem melhor definidas.

Além disso, os líderes empresariais liberam seus gestores e colaboradores para experimentarem mais sem medo de errar. O intuito é desenvolver protótipos que falhem antes de entrar no mercado, para que as novas investidas tenham maior probabilidade de sucesso no médio e longo prazo.

Muda a visão dos líderes

Um dos maiores desafios dos diretores e gestores da atualidade é abandonar o conceito de chefe para aderir a uma abordagem maior de liderança nas empresas. Chefes não oferecem muito espaço para a cultura de inovação, líderes sim. Como inovar é preciso, o exemplo deve começar de cima.

A cultura de inovação ajuda nesse sentido, fazendo com que a empresa passe do controle funcional hierárquico tradicional para uma liderança guiada ao crescimento econômico e social. As estruturas hierárquicas deixam de ser verticais e passam a ser horizontais, dividindo as responsabilidades com equipes de profissionais mais engajados e autogerenciáveis.

Por que implementá-la na sua empresa?

Toda empresa espera que os gestores pensem de maneira criativa e consigam as soluções inovadoras para os problemas organizacionais. No entanto, ao motivar a criatividade na equipe de colaboradores, é provável que se tenha uma seleção ainda mais próspera de ideias para o negócio.

Isso acontece por que todos pensamos de forma diferente. Um grupo de pessoas pode pensar coletivamente, dividindo diferentes perspectivas sobre um determinado problema, além do compartilhamento de conhecimentos, habilidades e experiências. A velha frase “duas cabeças pensam melhor que uma” descreve bem esse modelo colaborativo que a cultura de inovação proporciona às empresas.

Os benefícios da cultura de inovação são muitos. Por isso, listamos alguns dos principais exemplos de resultados que devem justificar os esforços de adesão na sua empresa. Confira!

Identifica tendências com maior facilidade

Com o surgimento da internet e o avanço das tecnologias de software, o comportamento do consumidor muda cada vez mais rápido. Muitas tendências podem surgir em poucos dias, deixando a empresa perdida no mercado. Isso torna a capacidade de acompanhar os movimentos e prever direções algo primordial para ter sucesso.

Quando a empresa adota uma postura de inovação, geralmente conta com profissionais mais flexíveis e com um bom nível de autonomia. Isso permite adaptações mais aceleradas para atender a novas demandas em menor tempo.

Tecnologias baseadas em big data analytics são exemplos disso. Esse sistema é capaz de coletar e manipular um grande volume de dados automaticamente, extraindo informações estratégicas dele. Como resultado, a empresa consegue prever o comportamento dos clientes, identificar tendências e se antecipar às demandas para aproveitá-las ao máximo.

O negócio atrai e fideliza mais clientes

Em um mundo amplamente globalizado, as informações estão mais acessíveis aos consumidores e a comparação entre concorrentes é facilmente realizada pela internet, por meio do próprio celular inclusive. Nesse cenário, a capacidade de inovar se torna uma competência essencial para o negócio.

Uma cultura voltada para a inovação deve ajudar as empresas a se destacarem mais facilmente no mercado, pois tornam-se capazes de criar e entregar valor de forma continuada. As experiências de compra são sempre aprimoradas e os clientes passam a enxergar a marca, bem como os seus produtos e serviços, com maior valor agregado.

Dessa forma, a empresa aumenta o seu potencial de prospecção e captação de clientes. Além disso, as experiências proporcionadas durante o ciclo de vendas e jornada de compras elevam consideravelmente o número de fidelizações. Consequentemente, mais receitas recorrentes são geradas.

Otimiza o uso dos recursos

Se você considerar as operações internas de uma empresa, hoje, um dos maiores desafios é combater o desperdício de recursos. O melhor caminho para isso é buscar a otimização dos processos. Nesse caso, a inovação entra em campo, pois a empresa deve considerar novas formas de se fazer as coisas (metodologias) e ter o apoio de ferramentas tecnológicas (softwares e equipamentos).

Empresas que cultivam a cultura de inovação fazem isso e medem resultados com frequência para saber quando precisam evoluir novamente. Afinal, a inovação é um processo contínuo. A produtividade melhora e muitos custos são reduzidos. Além disso, essa estratégia deve manter todos com foco no desenvolvimento das melhores práticas, o que contribui para aumentar a eficiência e desempenho geral do negócio.

Um exemplo do que estamos falando é a automação de tarefas, que é uma estratégia já utilizada com sucesso por muitas organizações. Por meio dela, o negócio passa a fazer mais com menos recursos em menor tempo e com maior qualidade.

Atrai e retém talentos

A maioria dos profissionais de hoje estão em busca de um ambiente de trabalho desafiador, que incentiva a inovação e dá autonomia para assumirem responsabilidades. Nesses locais, as pessoas podem dar o máximo de si mesmas e explorar coisas novas sem medo de errar, o que ajuda a empresa a descobrir logo o que não funciona e o que é promissor.

O capital humano é um dos mais importantes para o negócio e, quando os trabalhadores se sentem valorizados, eles mudam a visão sobre o emprego, tendo maior felicidade na empresa.

A cultura de inovação permite que os profissionais façam parte dos processos evolutivos e tenham seus esforços individuais reconhecidos, o que aumenta consideravelmente o nível de engajamento. Nesses casos, além de despertar o interesse dos profissionais do mercado, a empresa consegue reduzir o índice de turnover (rotatividade).

Age de forma proativa

As organizações voltadas para a inovação criam as condições perfeitas para agir de forma proativa, antecipando problemas e oportunidades. Tais condições são formadas com a ajuda de tecnologias e metodologias que, incorporadas à rotina de trabalho, formam um conjunto de melhores práticas a serem executadas pelos gestores e colaboradores.

Com essa capacidade, o negócio pode se preparar melhor para atender a tendências de demanda e neutralizar ameaças, eliminando boa parte das surpresas e tornando o negócio mais previsível.

Essa é uma grande vantagem para os investidores, já que a maior previsibilidade reduz os riscos. Prever resultados futuros e ter o poder de agir sobre eles, antecipadamente, é uma capacidade que pode ser somada ao conjunto de valores da organização.

Reduz custos

Uma das maiores contribuições que a cultura de inovação dá aos negócios é a redução de custos. Como inovar envolve a busca constante pelas melhores práticas, a empresa eleva o seu nível de excelência, aumentando a qualidade dos produtos e serviços prestados, além, é claro, de reduzir o índice de retrabalho por erros e gastos excessivos de matéria-prima nos processos.

A consequência disso tudo é um repasse menor dos custos para o cliente final, o que permite à empresa praticar preços mais competitivos e agregar valor ao que comercializa para aumentar a lucratividade.

Como implantar na sua empresa?

A cultura de inovação é algo complexo de ser estabelecido e sustentado, mas é considerado essencial por muitos especialistas em empreendedorismo para a criação de diferenciação competitiva nas organizações. Isso requer trabalho duro, incluindo o estabelecimento de novas práticas de medições, a criação de novos cargos e a descoberta de formas para monetizar a inovação.

O fracasso é uma parte crucial do processo, pois é a partir dele que o aprendizado é gerado. Quase todas as inovações são resultados de um aprendizado prévio, com falhas, e as organizações que desejam implementar uma cultura de inovação devem estar preparadas para falhar antes de inovar.

Isso porque os erros permitem adaptações e construções de novos modelos conceituais e físicos. No processo, o ciclo de repetições promove melhorias com base nas experiências passadas e mostra o caminho do sucesso aos gestores. Pensando nisso, listamos algumas das principais dicas que ajudarão você nessa tarefa. Confira!

Mude o clima do ambiente corporativo

Uma verdadeira cultura de inovação só pode existir em um ambiente no qual a criatividade é liberada e o risco assumido é incentivado, desde que controlado. As mudanças podem começar na TI, onde estão as tecnologias de suporte ao negócio. Os profissionais do setor costumam ser mais abertos às mudanças, pois lidam com tecnologias que se atualizam frequentemente.

Isso deve facilitar um pouco as coisas, mas os profissionais devem ter foco em estender rapidamente essa prática a todos os departamentos da empresa. Lembrando que nenhum membro da organização deve ficar de fora do processo.

Dê autonomia aos profissionais

Uma cultura de inovação demanda uma estrutura de governança que distribui o poder entre os grupos de profissionais autogerenciáveis. Ou seja, é preciso mudar o modelo de hierarquia vertical para horizontal e dar autonomia para os colaboradores atuarem por conta própria. Para isso, o primeiro passo é acreditar no potencial dos profissionais e depositar confiança neles.

Se eles tiverem liberdade para debater suas formas de trabalho e terem autonomia para testar as suas próprias ideias, a empresa cria o cenário perfeito para a inovação e ganha contribuições significativas para a melhoria na produtividade, aumentando o rendimento do negócio.

Abra espaço para novas ideias

As ideias são uma parte crítica da cultura de inovação e devem ser valorizadas com igual peso, independentemente de quem sugeriu. Mesmo as ideias que soam ruins no início devem ser consideradas cuidadosamente antes de serem totalmente descartadas.

Para ter sucesso nesse sentido, ninguém pode ser repreendido por suas ideias, muito menos ignorado, pois é possível que esteja diante de uma sugestão com grande potencial e não saiba. Em vez disso, o correto é reconhecer e elogiar a contribuição oferecida, dando a oportunidade de trabalhar o conceito para ver se isso pode se transformar em algo concreto e de valor mais tarde.

Incentivar a contribuição é uma das melhores maneiras de descobrir talentos existentes em sua organização. Se fizer isso corretamente, profissionais de todos os departamentos da empresa ficarão mais dispostos a oferecer seus conhecimentos, habilidades e experiências em prol da organização, pois saberão que essa atitude será valorizada e suas sugestões testadas.

Definir sessões de brainstorming semanais, quinzenais ou mensais, pode ser uma ótima estratégia para isso. Assim, todos os participantes podem ouvir e debater as ideias apresentadas. Lembre-se de anotar tudo para estudos posteriores. O objetivo inicial é não perder nada do que for discutido durante as reuniões.

Incentive a aprendizagem

Se as ideias são importantes para uma cultura de inovação, o aprendizado obtido com os testes é ainda mais profundo. Isso porque eles permitem falhas e o surgimento de novas ideias de aprimoramento, o que combina um conjunto de experiências incríveis vivenciadas pelos envolvidos no projeto.

Um exemplo que podemos citar aqui é a política de 20% de tempo do Google, que libera os profissionais para gastarem um dia de sua semana de trabalho naquilo em que têm vontade de aprender e praticar na empresa. Isso tem possibilitado grandes aprendizados, além de muitas ideias inovadoras.

Você pode fazer o mesmo na sua empresa. Enquanto as sessões de brainstorming possibilitam a coleta de sugestões, o incentivo ao aprendizado pode ir mais longe, permitindo que o dono da ideia teste ela na prática e adquira um aprendizado importante no processo.

Use métricas qualitativas

A maioria das métricas utilizadas nas empresas atualmente são quantificáveis. Ou seja, calculam resultados numéricos. O problema é que, em uma cultura de inovação, é preciso considerar também a mensuração de valores intangíveis, como o nível de ideias apresentadas, quais foram de fato testadas e implementadas, o que elas proporcionaram ao negócio, entre outras informações.

Então, descubra o que não é medido em números, como a qualidade, e passe a agregar pontos positivos e negativos, A partir daí, agregue valores às anotações, como pontuação por relevância. Isso deve tornar mais fácil a mensuração de resultados, até então, não analisados.

Lidere pelo exemplo

Muitos gestores confundem respeito com medo, impondo um sistema de controle rigoroso e sem espaço para o destaque de seus colaboradores. Porém, os resultados serão sempre limitados. Se a sua empresa é assim, mude a postura, adotando um comportamento mais de orientador.

Passe a servir seus colaboradores para que a produção aumente e melhore. Seja amigo da sua equipe, sinta suas dores e participe ativamente na busca por resultados, compartilhando sucessos e fracassos.

Tudo isso é exemplo de um comportamento de liderança. Quando você começar a praticá-lo, ganhará seguidores e eles replicarão a postura. Isso será fundamental para a implementação de uma cultura de inovação.

Premie esforços

As empresas que promovem o pensamento inovador também devem encontrar maneiras de recompensar as ideias, o tempo e o esforço gasto nas pesquisas, pois estabelecer uma cultura de inovação é uma coisa, sustentá-la é outra. O reconhecimento e a recompensa funcionam como incentivos para manter um ciclo permanente de inovações nas organizações.

Podem ser premiações em dinheiro (participação nos resultados), viagens, promoção etc. O mais importante é elogiar qualquer participação, mesmo que tímida.

Como a cultura de inovação impacta uma empresa?

Além da otimização dos processos e ganho de força competitiva, a empresa ganha uma imagem de antenada e em constante evolução no mercado. Essa visão atrai o desejo dos profissionais de mais alto nível em trabalhar nela. Os investidores observam o potencial do negócio e também querem participar do projeto.

Já os clientes começam a enxergar maior valor na marca, tendo status ao usar os produtos e serviços da empresa. Tudo isso, torna a organização uma referência no mercado. Ela deixa de fazer benchmarking (copiar o que dá certo em outras empresas) para ser benchmark (alvo de pesquisas da concorrência).

Desenvolver uma cultura de inovação leva tempo e começa com mudanças na gestão, sendo mais aberta às novas possibilidades e menos crítica às sugestões das equipes de força de trabalho. Você deve criar um ambiente que incentive a cooperação, a criatividade e promova um estilo de trabalho positivo com mais oportunidades para cada indivíduo.

Criar uma cultura de inovação requer novas habilidades de liderança, valorização de pessoas e suas ideias, novos processos, e maior foco em oportunidades. Isso pode ser difícil no início, mas, se for implementado aos poucos, em breve, a organização terá o que precisa para se tornar referência no mercado.

Logo, os profissionais acumularão ideias brilhantes e a empresa encontrará as melhores soluções para as suas necessidades atuais e futuras. Mudar a cultura atual da empresa para uma de inovação pode ser um grande desafio, mas, no final, vale a pena o esforço investido, pois ela se tornará a nova filosofia do negócio.

Gostou das dicas? Então aproveite para descobrir também como calcular o ROI em projetos de TI! Leia o nosso post sobre o assunto agora mesmo.

Sobre o autor

Canal da Tecnologia

Deixar comentário.

Share This