Suprimentos

Quais os fatores influenciam na qualidade e rotinas de impressão?

Talvez você não saiba, mas os processos de impressão que implementa são fundamentais para a qualidade. Nesse contexto, a forma como você usa os equipamentos e suprimentos farão toda a diferença. Acredite, dá para ter uma ótima qualidade de impressão não gastando tanto, mas isso vai depender de alguns fatores, como a condição dos suprimentos utilizados e a configuração do processo.

E tem mais, esse cuidado não só contribui para a melhora do nível nas impressões como impacta diretamente na disponibilidade dos equipamentos. Ao utilizar os suprimentos certos, a durabilidade da impressora aumenta, exigindo manutenções com menor frequência. Consequentemente, a impressora ganha um tempo de operacionalidade maior.

Já pensou nisso? Descubra a partir de agora quais fatores mais influenciam na qualidade e rotinas de impressão da sua empresa e aja em prol da eficiência.

O que deve ser considerado para que se tenha uma boa qualidade de impressão?

Existem diversos fatores que podem influenciar na qualidade, e a combinação certa entre eles é o que vai garantir uma impressão com alta resolução, mesmo economizando recursos. Os fatores mais importantes são:

  • o tipo de impressora (doméstica, empresarial, industrial);

  • a mídia em que o produto será impresso (tipo do papel);

  • os suprimentos utilizados (tinta, cartucho, toner).

Quando há uma combinação ideal entre eles, é possível alcançar uma qualidade de impressão excelente, processos mais rápidos e uma grande economia de recursos.

Como imprimir em alta definição e ser econômico ao mesmo tempo?

Existe um certo paradigma no mercado. As pessoas acreditam que quando imprimem um material em alta definição há uma garantia de qualidade superior como resultado. Mas isso não é, necessariamente, verdade.

Em muitos casos, mesmo escolhendo o modo “Alta definição” da impressora, o resultado pode ser bem abaixo do esperado, assim como também é possível obter resultados bem superiores apenas escolhendo o modo “Normal” ou “Econômico”.

Isso porque a qualidade dos conteúdos impressos, como imagens, números e letras, está diretamente relacionada à qualidade dos suprimentos que são utilizados na impressora, como tinta, cartucho, toner, papéis e o próprio equipamento.

Considerando os três modos de definição que você pode configurar na impressora, o modo “Normal”, na maioria das vezes, já será suficiente para garantir uma alta qualidade de impressão, a menos que esteja trabalhando com impressões de imagens para publicidade, por exemplo, que exigem uma definição maior.

Isso quer dizer que você pode economizar utilizando o modo “Normal” e até mesmo o “Econômico”, dependendo do trabalho.

No entanto, algo precisa ficar bem claro: a qualidade de impressão depende inteiramente da qualidade dos suprimentos utilizados. Ou seja, não adianta ter a melhor impressora se não usar o papel mais adequado, uma tinta ou toner de péssima qualidade.

Os suprimentos afetam na condição final do trabalho e também na economia. Se os mesmos documentos precisam ser impressos diversas vezes, há um sinal de retrabalho na empresa, o que resulta em gastos excessivos e desnecessários para as impressões.

Quais os principais fatores que afetam a qualidade de impressão?

Conheça agora um pouco mais sobre cada fator que influencia na qualidade de impressão e disponibilidade dos equipamentos da empresa.

Impressora

Existem vários tipos de impressoras e cada uma é configurada para atender uma necessidade específica em um nicho de mercado. Elas podem ser classificadas pelo tipo de uso, tais como:

  • uso em escritórios (impressões de relatórios e documentos);

  • impressão industrial (cartazes, folders, outdoors);

  • impressões só em preto ou em cores;

  • uso doméstico (residencial).

Cada impressora reúne um conjunto de características específicas para o que é destinada a fazer e pouco se consegue quando o seu uso é voltado para um fim diferente.

Tinta ou toner

A tinta e o toner influenciam muito na qualidade de impressão. Enquanto a tinta precisa ser compatível com o tipo de papel em que será aplicado e com o próprio cartucho, o toner, além de ter qualidade, deve ser compatível com o tipo de impressora e adequado ao tipo de trabalho que será realizado.

Se ambos não forem de qualidade e adequados ao tipo do equipamento, do papel e do trabalho, pode haver borrões ou falhas que prejudicarão o resultado, levando a novas tentativas e grandes desperdícios de recursos.

Tipo de papel

Antes de iniciar uma impressão, é importante saber qual tipo de papel será o ideal para o trabalho. Eles podem ser A4, cartão, fotográfico, kraft, jornal etc. Cada tipo tem tamanho e textura diferente, exigindo equipamento e tinta específicos para a impressão. A qualidade desses papéis importa muito aqui, já que um produto ruim pode danificar fisicamente a impressora.

Quando o papel não é adequado para a impressora ou apresenta qualidade inferior, causa atolamentos e quebra de componentes internos. Por isso, o ideal é consultar a embalagem e descobrir para quais situações são mais indicados, bem como o lado que deve ser posicionado para a impressão.

Resolução

Nem sempre a resolução do que vai ser impresso precisa ser alta para ter um bom resultado. Se o papel for adequado, a impressora for a certa para o trabalho, a tinta tiver qualidade e o toner encaixar certinho no equipamento, temos uma combinação perfeita para imprimir um bom conteúdo, mesmo utilizando os modos “Normal” e “Econômico”.

Nesse caso, é importante escolher a resolução certa para aquilo que deseja imprimir. Genericamente, podemos dizer que o modo “Normal” garante um desempenho satisfatório na maioria dos casos.

Ambiente

Pode não parecer importante, mas o ambiente interfere na qualidade do papel. Locais úmidos, quentes demais e com luz direta do sol ou artificial aceleram o processo de desgaste do material. Isso faz com que a textura dele mude, afetando o resultado final da impressão. O mesmo problema pode acontecer quando o papel fica armazenado dentro da impressora.

Papéis úmidos, por exemplo, podem atolar na impressora e provocar quebras de componentes internos. Consequentemente, a impressora precisará ser interditada e demandará manutenções demoradas.

Como a qualidade dos materiais pode evitar a quebra dos equipamentos?

Basicamente, se você utilizar suprimentos de baixa qualidade, cedo ou tarde vai provocar uma série de danos à impressora. Veja alguns exemplos!

Tinta (jato de tinta)

Se usar um modelo de qualidade inferior, pode entupir o sistema da impressora com vazamentos.

Toner

Tome cuidado com os modelos universais, que muitas vezes não encaixam perfeitamente em todos os equipamentos podem resultar em vibração/trepidação da impressora, ocasionando baixa qualidade, resultando em vazamentos e eventuais danos ao equipamento e ao trabalho que está sendo impresso.

Acredite que não existe mágica, e apesar de se parecerem fisicamente o pó de toner varia para cada impressora, de acordo com o fabricante, a tecnologia, a velocidade e a resolução do equipamento.

Assim como todo produto que tenha muitos fornecedores, a variação bruta no preço do produto pode significar que você está comparando produtos de qualidade diferente. Pois matérias primas mudam, processos fabris mudam, tecnologia produtiva muda de maneira que os produtos ainda que se pareçam podem ter performances totalmente diferentes.

Cartucho

Se não for bem montado, pode levar a defeitos de engripamento e provocar atolamentos de papel na impressora, o que causa danos e encurtamento do tempo de vida útil dos equipamentos.

Dentro do mercado existem basicamente 4 tipos de cartuchos sendo:

– OEM – Aquele cartucho produzido pelo mesmo fabricante da maquina, que em geral vendem o equipamento barato e tentam recuperar a margem no preço do suprimento.

– Equivalente ao OEM – Aquele produto desenvolvido por uma empresa renomada, respeitando as patentes do OEM e que funcione tão bem ou até melhor que o OEM, em geral custam de 20% a 40% menos do que o produto OEM pois baseiam seu preço no custo do produto, pois não precisam subsidiar o equipamento.

– Compatível ao OEM – Aquele produto que serve para a máquina em questão, muitas vezes se tratam de copias que não respeitam patentes e não há garantia de equivalência (pode render menos, ter menos nitidez, ter maior ruído, etc…), em geral custam entre 50% e 80% menos do que o produto OEM.

– Remanufaturado – Em geral o cartucho OEM, depois de seu ciclo de uso, é retornado para uma empresa de reciclagem que o remanufatura, porem com seus próprios componentes e não mais o toner original ou equivalente. em geral custam entre 50% e 80% menos do que o produto OEM.

Desta maneira, tudo vai do quanto sua empresa se expõe ao risco.

Produtos OEM e Equivalentes, em geral provem de empresas multinacionais renomadas que tem sua  reputação e marca a zelar, possuem altos níveis de satisfação.

Produtos Compatíveis chegam ao Brasil através de importadores independentes e para o usuário final fica muito difícil saber se o cartucho dentro da caixa é proveniente da mesma fábrica que o anterior ou da mesma linha de produção que ele testou e aprovou.

Produtos Remanufaturados são produzidos localmente, e cada empresa tem seu processo de remanufatura. Existem desde aqueles que somente reenchem o cartucho com toner, até aquelas que trocam todas as peças internas, portanto o preço também pode significar qualidade.

O que fazer para reduzir paralisações das impressoras?

A dica mais importante para reduzir o tempo de inatividade das impressoras é sempre adquirir suprimentos de alta qualidade e corretamente destinados ao equipamento em questão. Além disso, é importante que saiba exatamente quais recursos vai precisar para desenvolver o trabalho.

Com base nesses conhecimentos, melhore os processos de impressão na sua empresa. Evite erros simples e não se irrite mais com a quebra dos equipamentos.

O que acha de começar hoje? Entre em contato agora mesmo e veja como podemos ajudar!

Sobre o autor

Canal da Tecnologia

Deixar comentário.

Share This