Gestão Empresarial

Quais os principais aspectos de uma gestão de dados eficiente?

Os dados sempre foram importantes para a análise e tomada de decisões dos gestores empresariais. No entanto, com a revolução digital, o volume de informações geradas diariamente pelas empresas aumentou muito e segue crescendo exponencialmente, já que as fontes são ilimitadas. Dessa forma, hoje a gestão de dados eficiente passa a ser uma das estratégias corporativas mais importantes.

Se você deseja agregar vantagem competitiva ao negócio, precisará fazer mais do que apenas coletar, armazenar e analisar os dados. Foi pensando nisso que desenvolvemos esse post. Descubra a partir de agora por que a empresa deve ter uma gestão de dados eficiente e como fazer isso na prática!

Por que é tão importante ter uma gestão de dados eficiente?

Em primeiro lugar, a estratégia permite melhorar a integração entre todos os departamentos da empresa, centralizando os dados em um repositório unificado (Data Warehouse) local e/ou na nuvem para uma análise mais ágil e simplificada. O resultado disso é um aumento considerável da produtividade em toda a empresa.

Outra coisa que a gestão eficiente nos permite observar é que há uma melhora significativa da qualidade e confiabilidade dos dados coletados e armazenados, gerando análises mais precisas, claras e sem redundâncias. Assim, os gestores de todos os departamentos podem compreender melhor o que estão analisando, o que diminui o risco de interpretações errôneas no processo.

Além de eliminar o risco de redundância, a estratégia também permite a reutilização dos dados sempre que for necessário, sem comprometer os resultados das análises. Isso deve poupar tempo e esforço para a compreensão das informações que circulam na organização.

E tem mais! Não se pode negar que um banco de dados bem gerenciado simplifica o acesso às informações de alto valor, gera maior disponibilidade e facilita a implementação de estratégias de segurança.

Principais aspectos para uma gestão de dados eficiente na empresa

Agora que você já sabe por que deve planejar e executar uma boa gestão para os dados da empresa, acompanhe este passo a passo que preparamos para você colocar a estratégia em prática da forma correta!

1. Prepare um banco de dados seguro para o armazenamento

Se a sua empresa ainda não conta com um banco de dados estruturado para o armazenamento do que é coletado, é bom pensar nisso antes de iniciar a estratégia. Chamado de “Data Warehouse”, ele deve facilitar a gestão, se for bem montado, pois será o repositório central. Ou seja, é onde todos os dados coletados deverão ficar armazenados.

Esse banco de dados pode ser formado em um servidor próprio, mas será mais seguro e eficiente se for estruturado na nuvem, já que contará com ferramentas exclusivas de proteção, integração e gestão oferecidas pelo provedor de recursos de cloud computing.

2. Separe o que é importante do que pode ser descartado

Nem todos os dados gerados pela empresa precisam ser coletados e armazenados. O ideal é categorizar os dados por tipo e agregar um grau de importância a eles. Assim, fica mais fácil saber o que realmente importa e o que está só ocupando espaço no data center.

Depois de formar grupos de dados separados, faça uma classificação por nível de relevância para facilitar o trabalho de coleta, mineração e armazenamento. A categorização será fundamental para a estratégia, pois permitirá que a empresa acumule somente os dados que realmente geram informações de valor, tornando a análise mais rápida e certeira.

3. Faça a coleta de dados de forma automática e consistente

Sabendo o que vai coletar e armazenar, identifique as fontes geradoras dos dados mais relevantes e crie uma ligação com o Data Warehouse, para facilitar a implementação de tecnologias de automação dos processos. A ligação e automação da coleta e armazenamento, bem como das análises, poderão ser feitas por meio de ferramentas específicas, mas falaremos sobre elas mais adiante.

O mais importante agora é focar em estratégias para manter uma coleta de dados constante. Caso contrário, poderá haver lacunas no banco de dados que influenciarão em relatórios incompletos e com informações imprecisas, resultando em interpretações equivocadas dos gestores. Acredite, você não vai querer isso!

4. Implemente boas práticas de análise

Você pode criar modelos padronizados para a análise dos dados e agregar eficiência ao processo. Uma boa dica para isso é testar diversos tipos de métricas e métodos de análise até encontrar um ou mais modelos que se encaixem melhor à realidade do negócio. Se fizer isso, todas as áreas, como marketing, vendas e compras, poderão adotar o mesmo padrão de análise.

Uma boa alternativa é implementar ferramentas de Big Data Analytics para definir e automatizar os processos de coleta, armazenamento e análise. Um software de BI (Business Intelligence), por exemplo, é capaz de analisar automaticamente um grande volume de dados, estruturados ou não, em um Data Warehouse, identificar padrões, extrair informações de valor e apresentá-las em forma de relatórios, auxiliando os gestores na tomada de decisões.

5. Use procedimentos de segurança

Com uma estrutura de Data Center montada, é muito importante que todos os usuários sigam também um padrão de acessos para impedir que os dados caiam em mãos erradas, principalmente quando se trata de informações estratégicas sobre o negócio e dados pessoais de clientes, sócios, investidores e fornecedores.

Se o banco de dados estiver hospedado na nuvem, o acesso pode ser remoto, mas os usuários devem ficar atentos com relação à rede e dispositivos que usam. Evite redes de internet aberta (pública) e só use aparelhos cadastrados e devidamente autorizados pela empresa para acessar os dados.

Na empresa, precisa haver um esforço de monitoramento e controle para barrar os acessos suspeitos e liberar os usuários autenticamente reconhecidos. Também deve existir um plano de backups constantes para evitar perdas em casos de invasão da rede ou por desastres.

6. Conte com tecnologias de proteção

Além dos procedimentos de segurança, a empresa deve contar com sistemas que atuem de forma independente para proteger a rede, sistemas e o banco de dados. Os principais são:

  • sistema de criptografia para as senhas de acesso e os próprios dados;

  • sistema de monitoramento e controle de acesso à rede;

  • firewall devidamente configurado;

  • antivírus corporativo;

  • Cloud Backups;

  • antimalwares;

  • antispywares;

  • entre outros.

7. Tenha o apoio de um especialista

Estruturar um banco de dados seguro e aplicar um gerenciamento eficiente não é uma tarefa tão simples. Mesmo que tenha uma equipe de TI interna disponível, os profissionais podem não estar preparados para oferecer o suporte que a empresa precisa. Por isso, o ideal é contar com o apoio de um especialista na área.

Muitas vezes, o próprio provedor de recursos de nuvem pode fornecer todo o suporte necessário, tanto em tecnologias quanto em metodologias.

Mesmo sendo uma atividade complexa, implementar uma gestão de dados eficiente é fundamental para sustentar decisões baseadas em informações reais e altamente precisas. Isso é o que vai orientar o rumo do negócio e garantir a força competitiva. Então, aproveite as nossas dicas e comece a planejar suas estratégias ainda hoje!

E você, como gerencia os dados da empresa? Conta para a gente nos comentários!

Sobre o autor

Canal da Tecnologia

Deixar comentário.

Share This